Quais são as regras e taxas do cheque especial?



O cheque especial é o limite oferecido pelo banco quando acaba o saldo da conta corrente. Apesar de ser bom poder gastar um pouco mais do que temos sem necessitar de nenhuma burocracia, esse “empréstimo rápido” tem seus custos. Vejamos abaixo:



Como explicado acima, o cheque especial é como um empréstimo pré-aprovado com a liberação automática, ou seja, não é necessário fazer nenhum tipo de solicitação. Em algumas contas, o valor do cheque especial vem junto ao saldo da conta, o que pode confundir alguns correntistas. Portanto, é necessária muita atenção para evitar gastar o limite do banco quando não é necessário. Todo empréstimo tem suas taxas e juros e o cheque especial não é diferente, mas possui os juros mais altos do mercado, já que os bancos não têm garantia de quando terão o retorno do valor emprestado. Porém, algumas redes bancárias permitem que nos primeiros dez dias do uso do limite da conta não sejam cobrados os juros.

Atualmente, tivemos uma baixa na taxa Selic e o governo solicitou que os bancos baixassem também os valores dos juros do crédito rotativo do cartão, a pretensão agora é que os juros do cheque especial também tenham uma queda. Mas isso não significa que o cheque especial deve ser usado com frequência, mas sim, em alguma extrema necessidade, caso você não tenha uma reserva de emergência, que seria o ideal. Para que você possa ter um controle maior de suas finanças, guarde um pouco de dinheiro todo mês e, assim, evite ter que pagar taxas e juros em um momento de necessidade.